Teor de proteína em grãos de feijão em diferentes épocas e doses de cobertura nitrogenada - DOI: 10.4025/actasciagron.v27i3.1409

Francisco Guilhien Gomes Junior, Edir Rodrigues Lima, Aguinaldo José Freitas Leal, Flávia Araújo Matos, Marco Eustáquio de Sá, Kuniko Iwamoto Haga

Resumo


O feijoeiro apresenta alta demanda por nitrogênio, cujos grãos constituem importante fonte de proteína na alimentação dos brasileiros. O trabalho teve por objetivo avaliar o efeito da aplicação de duas doses de nitrogênio em oito épocas do desenvolvimento vegetativo do feijoeiro, sobre o teor e rendimento de proteína bruta e solúvel nos grãos produzidos no inverno de 2003, em Sevíria, Estado do Mato Grosso do Sul. Para a determinação do teor de proteína foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições, sendo os tratamentos oriundos da combinação fatorial entre a aplicação de 40 e 80 kg ha-1 de N em cobertura, em oito épocas do desenvolvimento vegetativo das plantas. O teor médio de proteína bruta foi de 20,1% e 21,4% nos tratamentos 40 e 80 kg ha-1 de N, respectivamente, enquanto que o conteúdo de proteína solúvel foi 14,4% e 16,3%. A aplicação de 80 kg ha-1 de N proporcionou um rendimento médio de 419,4 e 316,3 kg ha-1 de proteína bruta e solúvel, respectivamente, o que representou um incremento de 6,0% e 12,4% em relação à dose de 40 kg ha-1 de N. O aumento da dose de nitrogênio de 40 para 80 kg ha-1 em cobertura promoveu incremento no teor de proteína bruta e solúvel em grãos de feijão. Aplicando-se a dose de 40 kg ha-1 de N, ocorre maior acúmulo de proteína bruta em grãos de feijão, quando a adubação em cobertura é realizada em estádios mais avançados do desenvolvimento vegetativo da cultura.

Palavras-chave


Phaseolus vulgaris L.; estádios fenológicos; nitrogênio; qualidade nutricional

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actasciagron.v27i3.1409

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

ISSN: 1679-9275 (impresso) e 1807-8621 (on-line) e-mail: actaagron@uem.br