Análise da estabilidade e previsibilidade da qualidade fisiológica de sementes de soja produzidas em Cristalina, Goiás - DOI: 10.4025/actasciagron.v30i2.1726

Eder Matsuo, Tuneo Sediyama, Hélio Bandeira Barros, Cosme Damião Cruz, Mário do Carmo Oda, Rita de Cássia Teixeira

Resumo


Avaliaram-se a estabilidade e a previsibilidade da qualidade fisiológica de sementes de 13 genótipos de soja [Glycine max (L.) Merrill], produzidas em três localidades do município de Cristalina, Estado de Goiás. Os ensaios de melhoramento foram conduzidos no campo no ano agrícola 2004/05. Os ensaios de avaliação da qualidade das sementes foram realizados nos laboratórios e casa-de-vegetação da Universidade Federal de Viçosa, instalados no delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições. Foram realizados os testes de germinação em papel toalha, emergência em leito de areia, índice de velocidade de emergência e análises de estabilidade pelos métodos propostos por Lin e Binns (1988) e Annicchiarico (1992). As médias de porcentagem de germinação, emergência de plântulas e índice de velocidade de germinação foram comparadas pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade. Na avaliação da qualidade fisiológica de sementes, foi identificado, como melhor, o genótipo 7B1454170 e como pior, o genótipo 9B1459189. Os genótipos Emgopa 313, 7B1454170, 11B145341 e DM339 foram classificados como de alta estabilidade para qualidade fisiológica, e os genótipos 3B1346193 e 9B1459189 classificaram-se como de baixa previsibilidade. Os métodos de estimação utilizados foram eficazes, coerentes entre si e permitiram identificar, entre os genótipos avaliados, os de maior estabilidade e previsibilidade

Palavras-chave


Glycine max; manejo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actasciagron.v30i2.1726

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

ISSN: 1679-9275 (impresso) e 1807-8621 (on-line) e-mail: actaagron@uem.br