Consumo e digestibilidade de dietas contendo fontes energéticas associadas ao farelo de girassol ou ureia em novilhos confinados - doi: 10.4025/actascianimsci.v33i2.11049

Eric Haydt Castello Branco Van Cleef, Jane Maria Bertocco Ezequiel, Nivia Araujo Fontes, Cristian Faturi, Priscila Neubern Oliveira, Marcelo Gil Stiaque

Resumo


Objetivou-se avaliar o consumo e a digestibilidade total e parcial de dietas utilizando milho, casca de soja e polpa cítrica associados ao farelo de girassol ou ureia em novilhos confinados. Foram utilizados quatro novilhos ½ Aberdeen Angus vs. ½ Nelore, providos de cânulas no rúmen e duodeno, com 18 meses de idade e 360 kg de peso médio inicial. As dietas foram constituídas por duas fontes energéticas (milho grão e polpa cítrica) associadas a duas fontes nitrogenadas (ureia e farelo de girassol), totalizando quatro tratamentos, numa proporção volumoso:concentrado de 40:60. O delineamento utilizado foi o quadrado latino com quatro tratamentos e quatro períodos de 21 dias cada. O consumo médio diário de matéria seca foi influenciado (p < 0,05) entre as dietas, e o maior valor foi atribuído à dieta milho e farelo de girassol. A digestibilidade aparente de todos os componentes, exceto da proteína bruta, foi maior (p < 0,05) para as dietas com polpa cítrica. Não houve efeito (p > 0,05) entre as dietas para as digestibilidades ruminal e intestinal. A utilização de coprodutos na alimentação animal não prejudicou a digestibilidade das dietas, sendo indicados como ingredientes de elevado potencial de utilização em dietas para bovinos de corte.

Palavras-chave


Bovinos; coprodutos; digestão; fontes energéticas; fontes nitrogenadas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascianimsci.v33i2.11049



ISSN 1806-2636 (impresso) e ISSN 1807-8672 (on-line) e-mail: actaanim@uem.br