Inoculação de maltose, sacarose ou glicose em ovos embrionados de baixo peso - DOI: 10.4025/actascianimsci.v32i1.5910

Rodrigo Afonso Leitão, Nadja Susana Mogyca Leandro, José Henrique Stringhini, Marcos Barcellos Café, Maria Auxiliadora Andrade

Resumo


Objetivou-se avaliar a suplementação com diferentes carboidratos e o local de inoculação em ovos de baixo peso. Para isso foram avaliados os parâmetros de incubação, biometria do trato gastrintestinal, morfometria intestinal e o desempenho de pintos de corte. O delineamento foi em blocos casualizados, com cinco tratamentos e 120 repetições para a incubação e quatro tratamentos e dez repetições para os demais parâmetros avaliados. Os tratamentos consistiram no ovo íntegro; ovo inoculado na cavidade alantoide por meio da câmara de ar; ovo inoculado na cavidade alantoide com solução de maltose, ou sacarose ou de glicose. Os tratamentos de um a 21 dias de idade foram realizados com as aves provenientes dos ovos inoculados com as soluções na cavidade alantoide Os dados foram submetidos à análise de variância, teste de Tukey (p < 0,05) e qui-quadrado. A inoculação por meio da câmara de ar provocou alta mortalidade e piorou a eclodibilidade. Pintos oriundos de ovos suplementados com carboidratos nasceram com maior peso, entretanto esse efeito não se manteve após o alojamento. A suplementação de carboidratos em ovo não estimulou o desenvolvimento gastrintestinal de pintos de corte e não influenciou o desempenho na fase inicial de criação

Palavras-chave


Carboidratos; incubação; matrizes jovens; pintos de baixo peso; suplementação “in ovo”

Texto completo:

PDF PDF (English) (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascianimsci.v32i1.5910





ISSN 1806-2636 (impresso) e ISSN 1807-8672 (on-line) e-mail: actaanim@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY