Utilização de diferentes densidades, dietas e formatos de tanque na larvicultura da piracanjuba, Brycon orbignyanus Valenciennes, 1849 (Characiformes, Characidae) - DOI: 10.4025/actascibiolsci.v25i1.2082

Adriana Saccol Pereira, Alex Pires de Oliveira Nuner

Resumo


Com o objetivo de estudar a taxa de sobrevivência e o desenvolvimento de larvas de piracanjuba, Brycon orbignyanus (Characiformes, characidae), foram realizados três experimentos com três repetições por tratamento. Os experimentos consistiram em testar três diferentes estoques iniciais de densidade (5, 15 e 25 larvas de piracanjuba/L), três dietas (Artemia sp, ração comercial e larva de curimbatá, Prochilodus lineatus) e dois formatos de tanque de larvicultura (quadrado e retangular). Os parâmetros de qualidade de água foram medidos duas vezes ao dia. A alimentação foi oferecida em um intervalo de 4 horas, iniciando após a abertura da boca das larvas. Sob as condições de realização deste experimento, conclui-se que as diferentes densidades de estocagem utilizadas, assim como as três diferentes dietas, não influenciaram a sobrevivência, média de peso, comprimento e altura dorso-ventral das larvas de piracanjuba. Entretanto, o comprimento e o peso das larvas, diferentemente dos outros fatores, foi significativamente melhor no tanque de formato quadrado

Palavras-chave


Brycon orbignyanus; larvicultura; densidade; dieta e formato do tanque

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascibiolsci.v25i1.2082



ISSN 1679-9283 (impresso) e ISSN 1807-863X (on-line) e-mail: actabiol@uem.br