Olhos de safira: introdução à leitura de O cão de Dürer, um conto de Maria João Cantinho

Marcelo Pacheco Soares

Resumo


 

Este ensaio promove uma leitura do conto O cão de Dürer’, da escritora portuguesa Maria João Cantinho, publicado em 2006, evidenciando a sua correspondência com a gravura renascentista Melencolia I, de Albrecht Dürer (1514), além de outras obras do artista. A compreensão do protagonista da narrativa acerca da arte de Dürer se processa em uma viagem para dentro de si mesmo, a fim de acessar a sua própria memória. Por isso, fazemos aqui uso do conceito de ‘memória estética’ de Mario Praz (1982), veiculado em pesquisa sobre a correspondência entre literatura e artes visuais. Em razão da afinidade acadêmica da autora com os estudos acerca da obra de Walter Benjamin, discussões diversas do filósofo alemão igualmente comparecem como instrumento de leitura para o conto.

 


Palavras-chave


conto português contemporâneo; intertextualidade; estudos interartes; Albrecht Dürer; memória estética.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascilangcult.v40i1.33052





ISSN 1983-4675 (impresso) e 1983-4683 (on-line) e-mail: actalan@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY