Análise contemporânea sobre a tradição do haicai japonês

Thiago Martins Caldas Prado

Resumo


O artigo investiga como demandas por pluralidade, simultaneidade e não linearidade, próprias da estética contemporânea, podem habitar nas formas do haicai e, paradoxalmente, como o haicai, com suas características peculiares de composição, rivaliza com tais demandas do mundo atual nas artes. O estudo ilustra as análises críticas a respeito da modalidade literária haicai por Roland Barthes, Alberto Marsicano, Rodolfo Wilzig Guttilla, Paulo Franchetti, Elza Taeko Doi e Regina Weinreich. Buscam-se correlações e oposições entre os clássicos japoneses, como Bashô, Buson, Issa e Shiki, e os praticantes mais contemporâneos dessa arte, como Paulo Leminski (no cenário nacional), ou Jack Kerouac (no cenário internacional).

 


Palavras-chave


haicai tradicional japonês; bashô; crítica contemporânea sobre o haicai.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascilangcult.v40i1.34726





ISSN 1983-4675 (impresso) e 1983-4683 (on-line) e-mail: actalan@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY