Decomposição fúngica de ácido tânico e outros compostos em efluente agroindustrial - doi: 10.4025/actascitechnol.v33i2.10117

Natalino Perovano Filho, Kelly Fernanda Seára da Silva, Ana Maria Queijeiro López

Resumo


Durante o processamento da matéria-prima da indústria sucroalcooleira, gera-se grande quantidade de efluentes com qualidades que impossibilitam seu lançamento em corpos de água sem o tratamento prévio. A biorremediação é usada para decompor resíduos orgânicos até um estado inócuo ou abaixo da concentração limite da legislação, tendo os fungos papel muito importante nessa estratégia por secretarem enzimas hidrolíticas. Neste trabalho, avaliou-se o comportamento de fungos isolados de resíduos da estação de tratamento de efluentes de uma indústria sucroalcooleira frente à degradação de fenóis como o ácido tânico e de outros compostos de efluentes agroindustriais suplementados com nutrientes específicos. Dentre diferentes isolados, aqueles identificados como Aspergillus sp. e Cladosporium sp. apresentaram as melhores taxas de produção de enzimas degradadoras de ácido tânico, como a lacase, por exemplo, enquanto Mucor sp. foi o que melhor removeu a Demanda Química de Oxigênio (DQO) e o conteúdo de fenóis totais, seguido por Cladosporium sp., Phanerochaeta chrysosporium e Geotrichum candidum.

Palavras-chave


Biorremediação; lacase; tanase; Cladosporium sp.; Mucor sp.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascitechnol.v33i2.10117





ISSN 1806-2563 (impresso) e ISSN 1807-8664 (on-line) e-mail: actatech@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY