Reator batelada seqüencial para o tratamento de efluente químico de laboratório - DOI: 10.4025/actascitechnol.v25i2.2167

Claudia Telles Benatti, Celia Regina Granhen Tavares, Benedito Prado Dias Filho, Mateus Pinatto Gaspar

Resumo


O efluente gerado em laboratórios acadêmicos de análises químicas é composto, de maneira geral, por matéria orgânica e uma grande variedade de resíduos químicos e metais pesados e consiste em um dos mais difíceis de serem tratados. O método de tratamento empregado consistia na precipitação com hidróxido e tratamento biológico em reator batelada seqüencial (RBS). Cada ciclo do sistema RBS foi operado por um período de 24h com as etapas de ENCHIMENTO/REAÇÃO, SEDIMENTAÇÃO e RETIRADA/REPOUSO na razão 20:3,5:0,5. O reator foi alimentado com uma mistura de efluente doméstico e efluente de laboratório a fim de minimizar o efeito inibitório do efluente de laboratório na bio-atividade dos microrganismos. Estudos cinéticos conduzidos para as etapas de ENCHIMENTO/REAÇÃO e SEDIMENTAÇÃO mostraram que o efluente é de difícil biodegradabilidade, alcançando uma redução de DQO de 11%.

Palavras-chave


efluente de laboratório; reator batelada seqüencial; RBS; precipitação com hidróxido

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascitechnol.v25i2.2167





ISSN 1806-2563 (impresso) e ISSN 1807-8664 (on-line) e-mail: actatech@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY