Destino do metal pesado chumbo de rejeitos urbanos de Maringá, Estado do Paraná

Ervim Lenzi, Dirseu Galli, Sandra Adriana Ricardo de Melo, Erika Vilhena da Silva

Resumo


Os resíduos da ação antrópica são um permanente desafio ambiental. Neste sentido, este trabalho teve como objetivo avaliar o metal pesado Pb no esgoto (afluente e efluente) e lodo das ETEs de Maringá, Estado do Paraná. As amostras de esgoto foram digeridas em meio ácido nítrico com redução de volume e as de biossólido foram digeridas com água régia. As leituras das concentrações de chumbo foram feitas pelo método de espectrometria de absorção atômica. O pH foi determinado e o N e o C foram analisados pelos respectivos métodos clássicos. Os resultados em valor médio global foram os seguintes, respectivamente: a) Pb, em µg.mL-1, para o esgoto afluente 0,089 e para o esgoto efluente 0,070. b) para o biossólido: Pb = 388,8 µg.g-1; pH = 3,38; N = 3,24%; C = 24,5% e MO = 42,1%. Pelos resultados conclui-se que o esgoto efluente está em conformidade com a legislação, e o lodo das ETEs: apresenta valores médios de pH; N, C e MO, que, em nível de 5% e 1%, não têm diferença significativa entre si, tanto nas ETEs (local) quanto ao período das coletas, respectivamente. Os resultados analíticos para o Pb dos biossólidos apresentaram diferença significativa. O teor de matéria orgânica e as relações C:N dos lodos das ETEs recomendam seu uso agrícola

Palavras-chave


esgoto; biossólido; metais pesados; nutrientes; poluição ambiental; matéria orgânica

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascitechnol.v23i0.2756





ISSN 1806-2563 (impresso) e ISSN 1807-8664 (on-line) e-mail: actatech@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY