Provas de carga horizontal em estacas escavadas a trado mecânico em solo colapsível da região de Londrina, Estado do Paraná

Miriam Gonçalves Miguel, Antonio Belincanta, Carlos Jose Marques da Costa Branco, Raquel Souza Teixeira

Resumo


No Campo Experimental de Engenharia Geotécnica (CEEG) da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Estado do Paraná, onde o perfil do subsolo se apresenta com uma camada superficial de solo argiloso, poroso e colapsível, com consistência de mole a média, foram realizadas e analisadas quatro provas de carga horizontal em pares de estacas escavadas a trado mecânico, com a finalidade de se obter o coeficiente de reação horizontal do solo (nh) e sua variação quanto ao efeito da colapsibilidade. Os resultados das provas de carga horizontal são apresentados através das curvas carga versus deslocamento horizontal do solo, em duas condições: sem inundação e com pré-inundação por 48 horas. O efeito da colapsibilidade do solo é analisado pela redução da capacidade de carga horizontal, determinada pela comparação entre as cargas de ruptura e de colapso obtidas nessas provas de carga. Os resultados das provas de carga permitiram também determinar as curvas do coeficiente de reação horizontal (nh) versus o deslocamento horizontal junto à superfície do terreno (yo), considerando a rigidez à flexão da estaca constante com a fissuração do concreto. Na determinação dos valores médios de (nh), foram considerados os intervalos de (yo) de 6 a 12 mm (solo não inundado) e de 12 a 18 mm (solo inundado)

Palavras-chave


prova de carga horizontal; reação horizontal do subsolo; fundações por estacas

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascitechnol.v23i0.2803





ISSN 1806-2563 (impresso) e ISSN 1807-8664 (on-line) e-mail: actatech@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY