Caracterização e modelo logístico na descrição da hepatite B ou C entre os doadores do Hemocentro Regional de Maringá

Margareth Cizuka Toyama Udo, Rosangela Getirana Santana, Kioko Elza Takahashi, Márcia de Lima Agosti, Sandra Regina Corbelho Pereira, Zenilda Soares Belrami

Resumo


Este artigo apresenta uma aplicação dos métodos estatísticos-medidas de associação e regressão logística para variáveis categorizadas de um estudo comparativo cujo objetivo é identificar fatores de risco para a condição de hepatite B ou C, buscando sanar as deficiências e as distorções no processo de triagem clínica dos candidatos a doadores de sangue do Hemocentro Regional de Maringá, no período de 1993 a 1996. Pela regressão logística, os fatores de risco detectados foram possuir mais de três parceiros sexuais e ter tido parceiros desconhecidos, homossexual ou prostituta. Apesar de o modelo ser significativo, é restrito no que se refere à previsão, uma vez que, pelo critério de classificação, o percentual de acertos entre os doadores com pelo menos uma sorologia positiva de hepatite é baixa. Observa-se que a entrevista médica na triagem clínica trouxe uma contribuição significativa na identificação de inaptidão.

Palavras-chave


medidas de associação; regressão logística; sorologia positiva de hepatite

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascitechnol.v21i0.3085





ISSN 1806-2563 (impresso) e ISSN 1807-8664 (on-line) e-mail: actatech@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY