Uso de carvão ativado e resina de troca iônica para limpeza e concentração de enzimas em extratos de madeira biodegradada - 10.4025/actascitechnol.v32i4.5671

Walter Carvalho, André Ferraz, Adriane Maria Ferreira Milagres

Resumo


Ceriporiopsis subvermispora foi utilizado para a biodegradação de cavacos de Eucalyptus grandis na presença ou ausência de cossubstratos (glicose e milhocina) durante 7, 14 e 28 dias. Os cavacos obtidos em cada um desses períodos foram extraídos com tampão acetato de sódio 50 mM (pH 5,5) adicionado de 0,01% de Tween 60. A atividade de manganês peroxidases (MnPs) nos extratos foi marcante ao longo de todo o período de biodegradação, tanto na ausência (430, 765 e 896 UI kg-1, respectivamente) quanto na presença de cossubstratos (1.013, 2.066 e 2.323 UI kg-1, respectivamente). Os extratos apresentaram elevadas relações entre absorbância a 280 e a 405 nm, indicando forte abundância de compostos aromáticos derivados da lignina em relação à heme-peroxidases. A adsorção em carvão ativado se mostrou uma estratégia adequada para reduzir a absorbância a 280 nm em todos os extratos. Além disso, permitiu maximizar a capacidade de um leito de resina trocadora de ânions (DEAE Sepharose), utilizado para concentrar as MnPs presentes nos referidos extratos. Concluiu-se que o uso de carvão ativado seguido de adsorção em DEAE Sepharose é uma estratégia que pode ser utilizada para concentrar MnPs em extratos obtidos durante a biodegradação de E. grandis por C. subvermispora.

Palavras-chave


Ceriporiopsis subvermispora; Eucalyptus grandis; manganês peroxidases

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascitechnol.v32i4.5671





ISSN 1806-2563 (impresso) e ISSN 1807-8664 (on-line) e-mail: actatech@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY