Estudo do processamento por microfiltração de soluções aquosas de pectina em membranas cerâmicas - doi: 10.4025/actascitechnol.v33i2.7000

Vitor Renan da Silva, Agnes de Paula Scheer

Resumo


Neste trabalho foram avaliados os efeitos da pressão, a eficiência de separação e os efeitos resistivos na microfiltração de soluções aquosas de pectina. O valor do fluxo de permeado estabilizado foi determinado para soluções com concentrações de 1,0 e 2,0 g L-1 submetidas a pressões de 0,4; 0,8; 1,2 e 1,6 bar. Um delineamento fatorial completo com dois níveis foi realizado para se avaliar os efeitos da pressão, temperatura e concentração nas resistências do processo. Os ensaios foram conduzidos em um sistema de microfiltração tangencial com membranas multitubulares com tamanho nominal de poro de 0,44 µm e vazão de alimentação de 1,0 m³ h-1. Determinaram-se os coeficientes de retenção de pectina e as resistências seguindo o modelo das resistências em série. Os maiores fluxos de permeados para soluções com 1,0 e 2,0 g L-1 foram observados, respectivamente, à pressão de 1,2 e 0,8 bar, enquanto os menores fluxos foram observados a 1,6 bar. O fluxo de permeado e a resistência por polarização elevam-se com o aumento da temperatura e da concentração, respectivamente. O coeficiente de retenção mínimo observado foi de 93,4 % e a resistência mais significativa foi a do fouling. A maior resistência foi de 4,13 x 109 m² kg-1 para temperatura de 30°C e concentração de 2,0 g L-1.

Palavras-chave


microfiltração tangencial; pectina; fouling; modelo das resistências em série

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascitechnol.v33i2.7000





ISSN 1806-2563 (impresso) e ISSN 1807-8664 (on-line) e-mail: actatech@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY