Avaliação da resistência a antibióticos de bactérias isoladas de efluente hospitalar - DOI: 10.4025/actascitechnol.v32i1.7453

Elenice Tavares Abreu, João Adelmo Pretto, Ângelo de Oliveira Caleare, Célia Regina Granhen Tavares, Celso Vataru Nakamura

Resumo


O uso intensivo de antibióticos está entre as principais causas de resistência bacteriana. O objetivo deste estudo foi investigar se o esgoto do Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM) apresentava bactérias patogênicas resistentes a antibióticos. As amostras foram coletadas em dois pontos, um de todo o hospital e outro do Hemocentro. Foram semeados 100 µL nas diluições 10-2, 10-3 e 10-4 nos meios de culturas Ágar Mac Conkey, Ágar Salmonella-Shigella, Ágar Manitol Salgado e Ágar Sabouraud Dextrose. As amostras foram submetidas à identificação bacteriana e ao antibiograma. A identificação bacteriana se baseou na bacterioscopia por coloração de Gram e provas bioquímicas. Os antibiogramas foram feitos de acordo com a metodologia de difusão de disco em Ágar Müeller-Hinton, e foram utilizados 12 antibióticos nesses testes. Foram isoladas e identificadas 39 amostras, e dentre estas, 18 espécies apresentaram resistência e moderada resistência pelo menos para um dos antibióticos. Bactérias isoladas e identificadas como K. pneumoniae, E.coli, K. pneumoniae, E. cloacae e C. freundii apresentaram resistência para quase todos os antibióticos testados. Verificou-se que o HUM lança, na rede pública coletora de esgoto, bactérias com multirresistência a determinados antibióticos. Portanto, torna-se necessária a implantação de sistema eficiente de tratamento de efluentes no HUM.

Palavras-chave


resistência bacteriana; efluente hospitalar; antibióticos

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascitechnol.v32i1.7453





ISSN 1806-2563 (impresso) e ISSN 1807-8664 (on-line) e-mail: actatech@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY