Remoção da prata em efluentes radiográficos - DOI: 10.4025/actascitechnol.v29i1.83

Edmilson Cesar Bortoletto, Luciana Igarashi-Mafra, Amanda Cristina Alfredo Contrucci Sorbo, Naiara Aguiar Galliani, Maria Angélica Simões Dornellas de Barros, Celia Regina Granhen Tavares

Resumo


O efluente proveniente da etapa de fixação e a água de enxágüe gerada no processamento de filmes radiográficos contêm prata na forma de complexo negativo de tiossulfato de prata, o que torna este efluente extremamente tóxico a organismos aquáticos. Neste trabalho foi realizado o estudo da remoção da prata presente nestes efluentes. Para a remoção da prata presente no fixador foi realizado o estudo da precipitação utilizando diferentes agentes precipitantes. A maior porcentagem de remoção de prata (84%) foi obtida utilizando-se H2O2 a 0,17 mol L-1. Além disso, foi realizado o estudo da remoção da prata presente na água residual pelo processo de adsorção com carvão ativado e zeólitas. A zeólita não apresentou afinidade com o complexo de prata. Os melhores resultados de remoção de prata foram obtidos com o uso de carvão ativado granular de coco de babaçu, obtendo-se uma remoção de 0,42 mg de prata g-1 de carvão ativado.

Palavras-chave


efluente; adsorção; precipitação; filmes radiográficos; prata

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascitechnol.v29i1.83





ISSN 1806-2563 (impresso) e ISSN 1807-8664 (on-line) e-mail: actatech@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY