Análise do desempenho motor de uma criança com hemiparesia espástica pré e pós-tratamento fisioterapêutico: estudo de caso - DOI: 10.4025/cienccuidsaude.v7i0.6583

Siméia Gaspar Palácio, Ariadne Katia Soares Ferdinande, Francielle Cristina Gnoatto

Resumo


A Paralisia Cerebral é uma patologia gerada por uma disfunção cerebral que provoca anormalidades no tônus muscular e interfere na aquisição correta das habilidades motoras durante o período de desenvolvimento. Desta forma, o objetivo desse trabalho foi avaliar e comparar a capacidade funcional pré e pós-tratamento fisioterapêutico de uma criança com quadro de paralisia cerebral do tipo hemiparesia espástica à esquerda, utilizando como protocolo o Conceito Neuroevolutivo de Bobath. Como instrumento de avaliação neuromotora, foi utilizada a Gross Motor Function Measure (GMFM) e, na seqüência, iniciado o tratamento fisioterapêutico, que se fundamentou no Conceito Neuroevolutivo de Bobath. O mesmo constou de 25 sessões, com duração de 50 minutos. Com o tratamento, podem-se verificar ganhos em todas as dimensões avaliadas pela escala GMFM, sendo que os mesmos foram de: 17,65% na dimensão A; 13,33% na dimensão B; 19,05% na dimensão C; 30,76% na dimensão D; e 13,89% na dimensão E, demonstrando que a fisioterapia contribuiu de forma significativa para a melhora do desenvolvimento motor do paciente.

Palavras-chave


Paralisia cerebral; Fisioterapia; Pediatria; Paresia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v7i0.6583



ISSN 1677-3861 (impresso) e ISSN 1984-7513 (on-line)