Imagem para capa

Zumbi dos Palmares: a afroresiliencia

Josué Petrônio Quirino de Oliveira

Resumo


O artigo buscou fazer uma releitura de Zumbi dos Palmares sob o prisma da resiliência, demonstrando uma visão singular ao olhar para os escravos nos quilombos e suas histórias de superação e transformação perante as adversidades, levando não só a reconstruir o imaginário afrodescendente brasileiro com o caleidoscópio da resiliência, mas revelar que a resiliência sempre foi inerente a história dos negros no Brasil. Para tanto se caracterizou como uma pesquisa exploratória com abordagem qualitativa e procedimentos bibliográficos que foram essenciais para a construção do artigo, amadurecendo e ampliando os conhecimentos envolvidos na temática. Nesta abordagem o quilombo dos Palmares foi um conjunto complexo de condições, atitudes e ações que apesar das adversidades tiveram resultados positivos, os fatos demonstraram que os negros nos quilombos foram uma prova que a resiliência negra não foi apenas um fator individual, mas uma característica comunitária que desencadeou um processo de ruptura e recuperação social, um grito de liberdade em defesa da consciência de uma raça, e de um povo. Zumbi não foi apenas um líder de um movimento libertário que marcou a história dos negros oriundos de Pernambuco e Alagoas, mas a história de uma raça por gerações no país, que se tornou sinônimo de resiliência. 


Palavras-chave


Resiliência; Zumbi dos Palmares; Afroresiliência

Texto completo:

PDF (baixado




Direitos autorais 2017 Revista Espaço Acadêmico