Imagem para capa

Considerações sobre Psicologia, trabalho e cotidiano

Sonia Regina Vargas Mansano, Rafael Bianchi Silva

Resumo


A Psicologia Organizacional pode ser considerada uma das áreas de intervenção mais consolidadas no âmbito da Psicologia no Brasil, sendo que seus profissionais são requisitados de maneira recorrente para atuar junto ao setor de Recursos Humanos. Ao mesmo tempo, o cenário laboral contemporâneo continua a reproduzir e a sofisticar uma sistemática exploração dos trabalhadores, tanto no que diz respeito ao tempo de trabalho (cada vez mais ampliado pelas tecnologias de comunicação e controle) quanto em relação às dimensões subjetivas que são colocadas a serviço da produção. O presente estudo propõe um debate sobre a inserção do psicólogo no setor de Recursos Humanos, problematizando três dimensões: a complexa relação estabelecida entre trabalhadores e organizações, a concepção de homem adotada por tais profissionais e o papel ético e político da psicologia diante das exigências laborais contemporâneas. Como conclusão parcial, consideramos que cabe a este profissional a difícil tarefa de abrir brechas no sistema rígido de acumulação e competitividade que predomina nas organizações capitalistas para apoiar e sustentar formas de intervenção que privilegiem a expansão vida e suas variações subjetivas.


Palavras-chave


Psicologia Organizacional; Política; Resistência

Texto completo:

PDF (baixado




Direitos autorais 2017 Revista Espaço Acadêmico