Nota de esclarecimento.

Quinta-feira, 11/10/2018 ocorreu um problema no sistema de periódicos da UEM. Em virtude disso, foi necessário restaurar um backup de 10/10/2018, quarta-feira 08h00.

Assim, solicitamos aos editores que revejam as atividades deste dia, pois elas foram perdidas e devem ser refeitas. Antecipadamente pedimos desculpas pelos transtornos, mas o problema foi alheio as nossas atividades.

Imagem para capa

TAVARES, Arilane da Silva Vasconcelos; TAVARES, Livania B. Distúrbio alimentar na infância – Concepção das Educadoras. Letônia, União Européia: Novas Edições Acadêmicas, 2018 (84 p.)

REA Editor

Resumo


O mundo moderno rendeu-se à concepção de que nossa saúde encontra-se profundamente ligada a alimentação. Conhecer e entender todo o processo que vai da escolha do alimento, incluindo os nutrientes que este carrega, é parte crucial para desvendar a conduta alimentar. Nesse sentido observar os primeiros anos de vida é de grande valia para fornecer informações sobre a nutrição e a promoção atitudes positivas em relação aos alimentos. Os hábitos alimentares mudaram, e auxiliados pela praticidade do dia a dia encontram total permissividade para o seu descontrole. Os consequentes Distúrbios Alimentares são obscuros para pais e educadores, que só conseguem identificar aqueles evidentes, ainda que desconhecendo suas origens e seus reais fatores de manutenção. Em geral, a temática Distúrbio Alimentar é erroneamente relacionada à idéia de maus hábitos, embasados no discurso de que as crianças de hoje se nutrem de forma inadequada, o que acaba por reduzir o problema às características de obesidade infantil. 

Palavras-chave


alimentação, Alimentacao, Alimentacão, Educação, educacao, Educacão, Educaçao, distúrbio alimentar, distúrbio alimentar, distúbio alimentar

Texto completo:

PDF (baixado




Direitos autorais 2018 Revista Espaço Acadêmico