Nota de esclarecimento.

Quinta-feira, 11/10/2018 ocorreu um problema no sistema de periódicos da UEM. Em virtude disso, foi necessário restaurar um backup de 10/10/2018, quarta-feira 08h00.

Assim, solicitamos aos editores que revejam as atividades deste dia, pois elas foram perdidas e devem ser refeitas. Antecipadamente pedimos desculpas pelos transtornos, mas o problema foi alheio as nossas atividades.

Imagem para capa

O simbolismo do MST na marcha e na mística: espaço itinerante de formação humana

Cristine Lima Torres

Resumo


Este artigo discute a mística e a marcha dos sem-terra vinculados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Consiste em um estudo sobre a formação humana no processo da luta pela terra, buscando construir estratégias educativas não-formais, tendo como base a oralidade, que re-significam os saberes populares. Buscou-se acompanhar o trajeto das marchas do MST da Bahia, registrar a dinâmica das místicas e das marchas, analisando as possibilidades de formação durante o processo. Utilizou-se como metodologia de trabalho a pesquisa histórica e imagética e como instrumentos as entrevistas com militantes e filmagem da dinâmica organizativa que caracteriza a temática abordada. Conclui-se que processos educativos como esses são fundamentais e viabilizam a invenção de novas formas de sociabilidade, sendo a solidariedade, a valorização pela vida, formas sociais que constituem um exercício de educação para a consciência crítica e emancipatória


Palavras-chave


Mística; marcha; religiosidade; educação emancipatória

Texto completo:

PDF (baixado




Direitos autorais