Lugares do magistério na Corte Imperial: o protagonismo do professor Candido Matheus de Faria Pardal

Angélica Borges

Resumo


Este estudo apresenta uma análise da trajetória do professor Candido Matheus de Faria Pardal (1818-1888) articulando a docência e sua atuação por diferentes espaços e associações de caráter social, político, econômico, religioso e recreativo, na capital do Império brasileiro. A arte de ensinar, os espaços onde atuou e as relações constituídas com os mais variados sujeitos possibilitaram ao professor ganhar experiência e visibilidade na Corte e em outras províncias do país. Sua trajetória permite compor um dinâmico cenário em torno do ofício docente no século XIX que dá relevo à atividade de ensinar, mas também a de associar-se, divertir-se, eleger, ordenar, entre tantas outras, apontando heterogêneos modos de ser e estar na cidade. Para realização da pesquisa foram usados jornais da imprensa oitocentista, disponibilizados pela Hemeroteca da Biblioteca Nacional; documentos manuscritos do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro; Relatórios da Inspetoria Geral de Instrução Primária e Secundária da Corte; documentos do Arquivo do Museu D. João VI e do Arquivo do Colégio Pedro II. Ao rastrear o ‘fio do nome’ foi possível levantar uma variedade de informações a respeito da vida deste professor, analisadas em jogos de escalas que organizam a reflexão em duas partes. A primeira trata da atuação de Pardal em sala de aula; a segunda analisa a sua atuação na cidade se desdobrando nos âmbitos local, político, social, econômico, religioso e recreativo.

Palavras-chave


história da educação; professores; trajetória de vida; Brasil Império

Texto completo:

PDF PDF (English) (baixado

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Resultado de imagem para CC BY