Nota de esclarecimento.

Quinta-feira, 11/10/2018 ocorreu um problema no sistema de periódicos da UEM. Em virtude disso, foi necessário restaurar um backup de 10/10/2018, quarta-feira 08h00.

Assim, solicitamos aos editores que revejam as atividades deste dia, pois elas foram perdidas e devem ser refeitas. Antecipadamente pedimos desculpas pelos transtornos, mas o problema foi alheio as nossas atividades.

As condições de vida dos pescadores artesanais de Rua da Palha - doi: 10.4025/actascihumansoc.v34i1.15989

Ronaldo Gomes Alvim

Resumo


O presente trabalho é parte de uma atividade que vem sendo desenvolvida no povoado de Rua da Palha, no estado de Sergipe, Brasil. A comunidade é de remanescentes quilombolas que, no decorrer das gerações, encontraram na atividade da pesca sua forma de subsistência. Através da técnica snow ball foram selecionadas 25 famílias para a realização de entrevistas cujo objeto de análise foi a realidade local, considerando: as relações socioeconômicas que os envolvem na pesca, os apoios governamentais às suas necessidades, suas relações com o entorno e como estes mesmos têm sobrevivido ao longo das últimas décadas. O resultado demostrou que a comunidade ainda vive em estado de certa privação e pobreza, fazendo que muitos membros optem por sair do povoado em direção à capital do estado ou para outras cidades com melhores perspectivas de vida. Todavia, já se observa uma melhora na condição de vida dos pescadores, sobretudo, após o apoio dos governos estadual e federal para minimizar a influência negativa da mortandade de caranguejos e mariscos na região.


Palavras-chave


comunidade tradicional; quilombola; pesca; apoios governamentais; meio ambiente

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihumansoc.v34i1.15989





ISSN 1983-4675 (impresso) e 1983-4683 (on-line) e-mail: actahuman@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY