Imagem para capa

Os comunistas conselhistas e o anarquismo: a crítica ao anarco-sindicalismo no contexto da guerra civil espanhola

Lucas Maia

Resumo


Este texto tem como principal objetivo demonstrar como o marxismo, principalmente os comunistas conselhistas, abordaram historicamente o anarquismo. O anarquismo é prenhe de várias tendências: anarco-coletivismo, anarco-individualismo, anarco-mutualismo, anarco-sindicalismo etc. A tendência que destacaremos neste artigo é o anarco-sindicalismo, visto ter sido esta a que os comunistas de conselhos mais criticaram. O Comunismo de Conselhos se desenvolve a partir da segunda metade da década de 1920. Tem em autores como Helmut Wagner, Anton Pannekoek, Karl Korsch, Herman Gorter, Paul Mattick etc. seus principais expoentes. Os autores conselhistas aqui analisados são Wagner e Mattick, pois foram os únicos a polemizarem diretamente com os anarco-sindicalistas no processo da Guerra Civil Espanhola de 1936 a 1939.  Da crítica destes autores ao anarco-sindicalismo conclui-se: que o anarco-sindicalismo e burocrático; que representa uma perspectiva contrária aos trabalhadores; que deve, portanto, ser combatido e não reforçado.


Palavras-chave


Marxismo; Comunismo de Conselhos; Anarquismo; Burocracia Sindical

Texto completo:

PDF (baixado




Direitos autorais