Celso Furtado e Karl Mannheim: uma discussão acerca do papel dos intelectuais nos processos de mudança social - DOI: 10.4025/actascihumansoc.v26i2.1384

Maria José de Rezende

Resumo


Deu-se destaque, neste artigo, às discussões de Celso Furtado acerca do papel do intelectual no processo de gestação de um conhecimento útil à formulação de ações propositivas que levassem a mudanças sociais substantivamente redefinidoras das condições de exclusão social e política. Combater as perspectivas derrotistas, pessimistas e ufanistas seria uma tarefa dos intelectuais comprometidos com a reconstrução do país em todas as esferas. Esse combate deveria dar-se através de um amplo discernimento sobre as bases do subdesenvolvimento, sobre suas causas e suas conseqüências na fixação de um padrão de organização social e de domínio político excludente. Os intelectuais intervêm de modo favorável a uma redefinição democrática da sociedade à medida que suas reflexões iluminem a realidade social e histórica, criando uma percepção adequada sobre os seus problemas, impasses e possibilidades

Palavras-chave


mudança social; planificação democrática; intelectuais; ciência e ação política

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihumansoc.v26i2.1384



ISSN 1679-7361 (impresso) e ISSN 1807-8656 (on-line) e-mail: actahuman@uem.br

 

Indexada em: