A construção do poético em Quando as montanhas conversam - doi: 10.4025/actascilangcult.v34i1.7535

Flávia Brocchetto Ramos, Sandra Regina Tornquist

Resumo


O presente artigo analisa a obra poética Quando as montanhas conversam, de Gloria Kirinus, a partir do aspecto lúdico, que propicia a conquista do leitor infantil, convidando-o a ingressar em uma realidade à parte e a aceitar as especificidades do espaço criado. Ao deixar-se envolver por textos poéticos de qualidade, como o analisado neste estudo, o infante desenvolve suas potencialidades e adquire novos conhecimentos de maneira divertida, o que transforma a poesia em um valioso recurso que merece ser melhor explorado, tanto em sala de aula quanto nos lares das crianças brasileiras.


Palavras-chave


poesia; leitor infantil; ludismo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascilangcult.v34i1.7535



ISSN 1983-4675 (impresso) e 1983-4683 (on-line) e-mail: actalan@uem.br